CONTACTOS
Fale connosco
800 203 186
Em rede

Está aqui

Recolha de biorresíduos em sacos óticos

A Cascais Ambiente está a iniciar um projeto piloto pioneiro em Portugal de recolha de biorresíduos (restos de comidas) em habitações domésticas. 

O projeto "separe mais&transforme melhor" está a ser implementado em 5000 famílias da freguesia de Parede/Carcavelos, que estão a ser acompanhadas por uma equipa de técnicos da Cascais Ambiente.

Veja aqui informação em inglês.

Como funciona?

O município está aproceder à entrega nas habitações (das famílias abrangidas) de um contentor castanho e de sacos verdes para serem colocados os resíduos orgânicos. Depois de acondicionados os restos de comida apenas no saco verde, este deve ser bem fechado com um duplo nó, evitando que o saco se abra. Em seguida, deve ser depositado no contentor dos resíduos indiferenciados (contentores cinzentos), a qualquer hora e em qualquer dia. Os sacos são distribuídos gratuitamente, de dois em dois meses.

Os resíduos indiferenciados devem ser depositados como faz habitualmente nos contentores cinzentos. Os resíduos seletivos de plástico, papel e vidro devem igualmente ser colocados nos respetivos contentores.

Porquê participar?

A recolha seletiva de biorresíduos (restos de comida) vai ser obrigatória em Portugal a partir de 2023. Para facilitar este novo hábito em Cascais, estamos a iniciar este projeto piloto.
Ao separar os restos de comida está a reduzir os resíduos enviados para aterro e a aumentar os materiais que vão ser reciclados.

O que acontece depois aos resíduos de restos de comida? 

O destino desta matéria orgânica recolhida será a Central de Digestão Anaeróbia (CDA) da TRATOLIXO, localizada no Ecoparque da Abrunheira, em Mafra. O processo de tratamento vai
gerar energia elétrica a partir do biogás produzido, resultante do desperdício de alimentos que entra em decomposição por ação de microorganismos num ambiente anaeróbio.
Esta energia será exportada para a Rede Elétrica Nacional como "energia verde". Será igualmente produzido um Composto orgânico de qualidade para aplicação na agricultura.

O que se pode colocar no saco verde?

Restos de alimentos crus e cozinhados ou fora da validade: Legumes e frutas, carne e peixe, restos de sopa, restos de pão e bolos, cascas de ovos, borras de café, saquinhos de chá e guardanapos de papel.

O que não se pode colocar no saco verde?

Vidros, plásticos, metais, têxteis, lâmpadas e beatas, excrementos de animais, copos, talheres e loiças, medicamentos e pilhas, etc.